Início > Uncategorized > Virtualização: Visão Geral

Virtualização: Visão Geral

Nos dias de hoje, estamos vivendo um verdadeiro BOOM no que diz respeito a tecnologias de virtualização. No entanto, os seus primórdios sejam de décadas atrás, com os mainframes IBM, dos quais, “particionava” seu hardware em partições independentes e isoladas, nascendo aí o que se chama hoje em dia de “virtualização por design”, presente inclusive nas linhas IBM Power, o PowerVM. No entanto, com o ganho de performance e confiabilidade da arquitetura x86, a virtualização se popularizou e hoje é  utilizada em larga escala. O conceito de “cloud computing” é outro fator que está muito ligado à virtualização, e está popularizando mais ainda a tecnologia.

Na prática, a virtualização nada mais é do que ter um computador executando vários S.Os ao mesmo tempo de forma independente, porém, na prática existem muitos fatores a serem levados em consideração na hora de implementar seu ambiente virtual.

Como quase toda inovação tecnológica, o seu principal objetivo é a diminuição de custos pela utilização total do hardware existente. Ou seja, se antes você tinha dez servidores, cada um rodando um serviço diferente, você pode ter dois servidores mais robustos rodando todos estes serviços ou até mais. O que ocorria é que estes dez servidores, na maioria dos casos, eram subutilizados durante a maior parte do tempo, e o pior, quanto mais hardware, mais custo de energia, manutenção e recursos humanos para operar tudo isso, com a virtualização você faz seu hardware trabalhar e realmente “pagar” aquilo que ele consome em energia e manutenção, e lhe consumiu durante sua aquisição, além disso, dois servidores consumem muito menos do que dez! Outra característica que agrega valor à virtualização é a alta disponibilidade. Como praticamente em 80% dos ambientes virtualizados se tem storages, as máquinas virtuais ficam armazenadas no mesmo, e suas LUNs são compartilhadas entre os hosts, sendo assim, caso um host venha a cair, o outro assume as VMs que estavam no host que caiu.

Na virtualização, quem orquestra as VMs (Virtual Machines / Máquinas Virtuais), são os hypervisors, para um hypervisor, uma VM nada mais é do que um processo, e seu disco, é apenas um arquivo virtual. Alguns hypervisors permitem o “bypass” e criam acesso direto à disco ou LUN, conhecido como Raw Device Mapping (no VMware).

No próximo artigo falarei sobre os tipos de hypervisors e as diferenças entre eles.

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: